Mais de 100 mil pessoas sorriram, acenaram e agitaram bandeiras do Japão neste domingo, 10, quando o novo imperador Naruhito e a imperatriz Masako desfilaram por Tóquio em um carro conversível. Foi o primeiro desfile do casal desde que se casaram, em 1993. O evento foi ponto mais alto dentre as cerimônias de entronização do imperador e uma das raras ocasiões em que a população pode ver o chefe da monarquia japonesa.

O desfile estava previsto para ocorrer em 22 de outubro, quando foi oficializada a ascensão de Naruhito ao trono. No entanto, o evento foi adiado em respeito às vítimas do tufão Hagibis, que dias antes deixou mais 80 mortos.

O casal entrou no automóvel às 15 horas locais (3 horas em Brasília). Ambos desfilaram sorridentes e cumprimentaram a multidão. Parte do público havia acampado durante a noite para garantir os melhores lugares ao longo do percurso de quase cinco quilômetros, que começou no Palácio Imperial.

Durante o desfile, que durou meia hora e contou com 50 veículos, a segurança do local foi realizada por helicópteros que sobrevoaram a área e pelo controle de policiais na região. Mais de 40 postos de inspeção foram instalados no caminho que levava ao local do cortejo. Na zona restrita, a população foi proibida de gritar e não podia carregar bastões para selfie, garrafas ou banners. Os residentes dos apartamentos nos prédios ao longo do caminho também receberam instruções para não olharem para baixo por janelas ou varandas.

Imperatriz

Para muitos, a imperatriz Masako foi a estrela do dia. “Vim para celebrar este momento e, em especial, ver Masako, uma mulher notável”, disse Shigeko Kawamura, de 68 anos. “A imperatriz Masako pode ser um exemplo para as mulheres modernas que trabalham em tempo integral”, afirmou a sexagenária Yukari Oshita, que chegou horas antes do cortejo imperial.

Masako Owada nasceu em 1963 em uma família de diplomatas. Poliglota, se formou em Harvard e Oxford e renunciou ao que teria sido uma promissora carreira diplomática para entrar na família imperial japonesa. No entanto, as regras estritas da casa imperial a abalaram. Além disso, Masako foi pressionada por muitos que esperavam um menino como herdeiro ao trono. O casal tem apenas uma filha e, por isso, as aparições públicas de Masako se tornaram cada vez mais raras.

Nos últimos meses, no entanto, ela se mostrou relaxada e segura de si nas cerimônias e festividades envolvendo a entronização de seu marido. Durante a visita do presidente americano Donald Trump, em maio, ao Japão, Masako recebeu elogios por falar inglês fluentemente.

Entronização

Naruhito, de 59 anos, sucedeu Akihito, seu pai, depois que ele abdicou ao trono. A ascensão formal de Naruhito ao Trono do Crisântemo se deu em outubro e contou com a presença de membros de famílias reais e chefes políticos de todo o mundo. Na ocasião, ele prometeu seguir o exemplo do pai e cumprir suas responsabilidades como símbolo do Estado, manter o pacifismo e a proximidade com o povo. Sob a constituição japonesa, estabelecida após a Segunda Guerra Mundial, o imperador não tem poder político e se limita a cumprir funções cerimoniais. A série de rituais e cerimônias de entronização de Naruhito prosseguem até o final deste ano. / COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS