A Corte Constitucional da Itália legislou hoje a favor da realização de um referendo sobre a imunidade temporária que protege o primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, de ser indiciado por fraude e suborno. A proposta de referendo foi apresentada ao tribunal pela Itália dos Valores, um pequeno partido da oposição chefiado pelo ex-magistrado Antonio Di Pietro, que comandou na década de 1990 a operação Mãos Limpas contra políticos corruptos e mafiosos.

O tribunal disse, em comunicado, que o referendo é “admissível”. Mas a realização do referendo ainda depende de outra votação da Corte Constitucional, a qual foi marcada para a amanhã e que decidirá se uma lei polêmica, sob a qual Berlusconi e seus ministros estão imunes a processos criminais, é válida ou não. Em visita à Alemanha hoje, Berlusconi disse que está calmo sobre o desfecho da questão na Corte Constitucional, uma vez que ele se considera inocente. As informações são da Dow Jones.