A Suprema Corte do Iraque sentenciou o ex-vice-primeiro-ministro Tareq Aziz à morte nesta terça-feira. É a primeira sentença do tipo dada contra o funcionário que se tornou a face internacional do regime de Saddam Hussein, pois representava o país em vários encontros pelo mundo, como um porta-voz.

“A Corte Suprema Criminal emitiu uma ordem de execução contra Tareq Aziz por seu papel na eliminação de partidos religiosos”, afirmou a televisão estatal. Segundo a emissora iraquiana, a corte também emitiu penas de morte contra dois outros altos funcionários de Saddam, o ex-ministro de Interior Saadoun Shaker e Abid Hamoud, que foi secretário do ex-ditador.

O trio foi sentenciado por seu papel na perseguição aos xiitas, que se seguiu à tentativa de assassinato em 1982 sofrida por Saddam em Dujail, uma cidade de maioria xiita ao norte de Bagdá, disse o porta-voz da corte Mohammed Abdul Saheb. “A decisão foi pela investida contra partidos religiosos que ocorreu nos anos 1980.”

Houve outra grande ação contra os xiitas, maioria no Iraque, após uma insurgência contra Saddam ocorrida em 1991. Pela lei, as sentenças de morte devem ser confirmadas pelo conselho presidencial para serem executadas. Em 2009, Aziz já havia sido condenado a 15 anos de prisão, pela execução em 1992 de 42 pessoas em Bagdá, e recebeu outra pena de sete anos em outro caso, por expulsar curdos do norte do país. Ele sempre afirmou ser inocente. As informações são da Dow Jones.