A Casa Branca informou nesta quinta-feira (14) ao Congresso americano que líderes iraquianos pouco avançaram no sentido de atingir objetivos militares e políticos traçados pelos Estados Unidos para o Iraque. A constatação acontece um dia depois de o presidente George W. Bush ter dito que progressos justificavam uma continuada presença militar no país árabe.

O relatório de acompanhamento ao Congresso de hoje concluiu que os iraquianos só conseguiram avançar em mais um requisito – permitir que antigos membros do Partido Baath, de Saddam Hussein assumissem cargos governamentais – que saiu da coluna de insatisfatório para a de satisfatório.

Isso porque políticos iraquianos anunciaram no mês passado que haviam chegado a um acordo sobre a questão. Mas, anúncios semelhantes no passado não foram seguidos por aprovação de legislação efetiva.

Em um estudo em separado, o Departamento de Estado concluiu hoje que houve uma forte deterioração da liberdade religiosa no Iraque no último ano devido à violência insurgente. O Relatório Anual Internacional sobre Liberdade de Religião, do departamento afirma que seguidores de todas as fés são alvos de ataques e que a violência não está confinada a rivalidades entre sunitas e xiitas muçulmanos.