O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, e seu Partido Trabalhista tentam limitar os efeitos da gafe cometida pelo político no dia anterior. Hoje ocorre o último debate televisionado entre os candidatos, na acirrada corrida eleitoral.

Ontem, Brown qualificou, sem saber que estava sendo gravado, uma eleitora de 65 anos como “fanática”. A mulher, Gillian Duffy, havia questionado Brown sobre algumas das políticas do governo. O incidente ocorreu em Rochdale, no norte da Inglaterra, onde Duffy pressionou Brown sobre o fato de trabalhadores do Leste Europeu estarem chegando “aos montes” ao Reino Unido.

Uma pesquisa divulgada ontem mostra os Trabalhistas em terceiro lugar, atrás dos Conservadores e dos Liberais Democratas.

O debate começa às 16h30 (horário de Brasília). A gafe de Brown ocorre em um momento difícil para os Trabalhistas, há 13 anos no poder. “A pesquisa rápida que fizemos na noite passada mostrou que isso não soou bem mesmo”, disse Peter Kellner, presidente da companhia YouGov.

A pesquisa do YouGov mostra os Conservadores com 34%, os Liberais Democratas com 31% e os Trabalhistas com 27%. Brown espera ganhar força com uma boa participação neste último debate, centrado na economia.

Questionado sobre a gafe de Brown, durante uma visita a uma hospital para crianças em Birmingham, o líder conservador David Cameron disse apenas que “as imagens falam por si mesmas.” As informações são da Dow Jones.