Aviões não tripulados dos Estados Unidos mataram hoje dez supostos militantes no Paquistão, segundo funcionários locais. O ataque ocorreu em um esconderijo entre montanhas do Waziristão do Norte, no cinturão tribal paquistanês, perto da fronteira com o Afeganistão. Entre as vítimas havia rebeldes supostamente vinculados à Al-Qaeda. A área tem sido crescentemente alvo de ataques de aviões não tripulados dos EUA desde um atentado suicida que matou sete agentes da CIA no Afeganistão.

Os mísseis atingiram uma instalação usada por militantes perto da vila de Datta Khel, 20 quilômetros a oeste de Miranshah, principal cidade do Waziristão do Norte, segundo fontes de segurança. A identidade dos militantes ainda não estava clara e não se sabe se havia lideranças entre as vítimas.

“Pelo menos dez militantes, a maioria estrangeiros, foram mortos”, afirmou uma fonte de segurança do Paquistão, pedindo anonimato. Ele utilizou o termo em geral usado no Paquistão para se referir a rebeldes ligados à Al-Qaeda. “Cinco mísseis foram disparados por aviões não tripulados dos EUA”, acrescentou. Três outros agentes de segurança confirmaram o ataque com mísseis e o número de mortos.

Os EUA têm realizado ataques frequentes na região paquistanesa contra alvos militantes. Aviões não tripulados já mataram várias lideranças rebeldes, incluindo o chefe do Taleban no país, Baitullah Mehsud, e possivelmente seu sucessor, Hakimullah Mehsud. Apesar disso, essas ações nutrem o sentimento antiamericano no país muçulmano. Washington pressiona o governo paquistanês para combater os militantes, enquanto enfrenta o Taleban no vizinho Afeganistão. As informações são da Dow Jones.