Pelo menos 18 pessoas morreram e 34 ficaram feridas nesta segunda-feira, quando um suicida detonou seu carro próximo a uma delegacia no Paquistão. A explosão também danificou um prédio administrativo vizinho. Autoridades locais contavam nove policiais entre os mortos e 20 entre os feridos. O ataque ocorreu em Lakki Marwat, na província de Khyber Pakhtunkhwa, uma área próxima da região tribal considerada um núcleo do Taleban. Até o momento, nenhum grupo reivindicou o atentado.

A delegacia ruiu com o ataque, deixando vários policiais presos. “O trabalho de resgate está em andamento. Nós estamos procurando agentes presos entre os escombros”, afirmou o policial Mohammad Saleem. Segundo a polícia, o agressor atingiu a parte de trás do prédio, já que as laterais e a frente estavam bem protegidas com sacos de areia.

Em janeiro, um suicida matou 99 pessoas e feriu 87, quando lançou seu carro contra uma multidão de homens, mulheres e crianças que assistiam a um torneio de voleibol na vila de Shah Hasan Khan, distrito de Lakki Marwat.Na semana passada, militantes lançaram uma série de ataques, enquanto os muçulmanos marcavam os últimos dias do mês sagrado de jejuns do Ramadã. O país luta também para lidar com uma grande enchente, que matou quase 1.800 pessoas e deixou milhões necessitando de auxílio.

O noroeste do Paquistão sofre com a insegurança crônica, em grande parte ligada ao cinturão tribal semiautônomo próximo do Afeganistão, que Washington qualifica como a área mais perigosa do mundo e a sede global da rede terrorista Al-Qaeda. Mais de 3.700 pessoas morreram em ataques suicidas e com bombas nos últimos três anos no Paquistão, a maioria deles realizados pelo Taleban e por outros extremistas ligados à Al-Qaeda. As informações são da Dow Jones.