A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), das Nações Unidas, encontrou evidências em um abrigo subterrâneo no Irã que poderiam significar que o país estaria próximo de produzir urânio enriquecido para mísseis nucleares, disseram diplomatas nesta sexta-feira. Inspetores da agência encontraram vestígios de urânio enriquecido a acima de 27% na instalação iraniana enriquecedora de Fordo. Esse nível representa quase 90% do necessário para fabricar ogivas nucleares, mas acima do nível de enriquecimento do Irã até então conhecido.

Os diplomatas, falando sob anonimato porque suas informações são privilegiadas, disseram que o material encontrado não significa necessariamente que o Irã esteja enriquecendo urânio ao nível bélico. Os diplomatas disseram que uma explicação possível é que as centrífugas estariam passando por ajustes técnicos. Autoridades iranianas não foram localizadas para comentar o assunto e a IAEA também não quis se manifestar oficialmente a respeito.

O Irã está sob sanções das Nações Unidas por sonegar informações sobre seu controverso programa nuclear. Teerã diz que seu programa de enriquecimento de urânio destina-se ao fornecimento de energia nuclear para atender ao crescimento populacional. Mas os EUA e outros países temem que o Irã esteja procurando desenvolver tecnologia para a fabricação de armas nucleares.

As últimas tentativas de persuadir o Irã a permitir a inspeção de especialistas da ONU a seu programa nuclear, quarta-feira, em Bagdá, terminaram inconclusivas. Nas discussões, seis países – EUA, Rússia, Grã-Bretanha, França e Alemanha – não conseguiram convencer Teerã a permanecer o enriquecimento ao nível de 20%. O grupo terá novo encontro no mês que vem em Moscou. As informações são da Associated Press