Brasília – Nos últimos 50 anos, o número de pessoas que vivem fora de seu país de origem praticamente dobrou no mundo inteiro. Hoje, os migrantes são 191 milhões, dos quais quase metade, 94,5 milhões, são mulheres. É o que mostra o relatório sobre a Situação da População Mundial 2006, elaborado pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). Este ano, o foco é nas mulheres e na migração internacional.

O estudo foi divulgado hoje (6) nos 191 países membros da Organização das Nações Unidas (ONU). De acordo com o relatório, no caso dos refugiados, a proporção de mulheres também corresponde a cerca de metade do total. No ano passado, dos 12,7 milhões de refugiados, 50% eram do sexo feminino.

De acordo com a representante da UFNPA no Brasil, Tânia Cooper Patriota, o relatório traz estimativas sobre o número de migrantes, porque muitas vezes ?essas pessoas estão em situação irregular e não há registros sobre elas. Entretanto, , segundo Tânia Patriota, é possível afirmar que grande parte é migração ilegal.

Uma dos principais conclusões do relatório é que as mulheres migrantes são, com freqüência negligenciadas e vítimas de abusos nos países de destino, ponto negativo da migração. A publicação ressalta que a falta de medidas de proteção e as limitadas oportunidades de migração ilegal segura facilitam o tráfico e a exploração.

O relatório apresenta dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT), segundo os quais, em todo o mundo, há 2,45 milhões de vítimas do tráfico, para fins de trabalho escravo ou exploração sexual.

Uma das críticas contidas na publicação é que as políticas de imigração e os debates internacionais têm ignorado as necessidades específicas e os direitos das mulheres migrantes. ?Esse relatório é uma chamada à ação para melhorar a situação dessas mulheres e chamar a atenção da comunidade internacional para os problemas e o impacto do trabalho delas?, disse a representante da UNFPA, em entrevista coletiva.

Tânia Patriota informou que, pela primeira vez o assunto será discutido numa sessão especial durante a Assembléia Geral da ONU. Nos dias 14 e 15 de setembro, será realizada a primeira reunião das Nações Unidas sobre Migração Internacional e Desenvolvimento, em Nova Iorque.