Uma manifestação contra a impunidade e a favor da vida será realizada hoje (8), Dia Internacional da Mulher, a partir das 14 horas no gramado em frente ao Congresso Nacional. Entre as atividades programadas estão o hasteamento de uma colcha de retalhos com nomes de pessoas assassinadas, cantos e orações ecumênicas.

Às 11 horas, as manifestantes terão audiência com o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos. Às 15 horas, mães de vítimas de violência, representantes de mais de 50 instituições nacionais de defesa da paz, entregarão aos presidentes da Câmara, Aldo Rebelo, e do Senado, Renan Calheiros, 1,2 milhão de assinaturas em favor de emenda popular que promove mudanças na legislação penal brasileira. Elas vão pedir ainda que o Supremo Tribunal Federal (STF) reveja a decisão que considerou inconstitucional a proibição da progressão de regime de cumprimento de pena de crimes hediondos.