Até o final de semana o Ministério Público Militar deve oferecer denúncia contra os dois ex-militares já presos sob suspeita de participação no roubo das 11 armas do Estabelecimento Central de Transportes do Exército, dia 3, no Rio. O promotor Antônio Carlos Facuri disse hoje também que pedirá a prisão preventiva dos dois, pois na quinta-feira expira o prazo da prisão temporária deles.

Segundo o promotor, já há provas suficientes para denunciá-los, mesmo que o inquérito policial militar que apura o crime não tenha sido finalizado. Cinco civis, que seriam ligados ao tráfico e foram arregimentados pelos ex-militares, também poderão ser incluídos na denúncia. Eles teriam conhecido a dupla no Complexo do Alemão, zona norte do Rio, pouco antes do crime.