A ministra da Secretaria Especial de Políticas para Mulheres, Nilcéa Freire, voltou a defender hoje (8) as parcerias com governos estaduais, municipais e organizações não-governamentais para enfrentar a violência contra a mulher. Ao participar do programa Redação Nacional, da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, a ministra disse que em todo o país já são mais de 100 centros de referência e atendimento à mulher em situação de violência e que a meta para este ano é dobrar o número dessas unidades.

Segundo ela, o governo federal dá apoio financeiro para a instalação dos centros, mas a manutenção dos serviços é feita pelas esferas estaduais e municipais e também pela sociedade. As unidades oferecem às vitimas de violência atendimento psicológico, jurídico e social.

"Apoiamos e somos parceiras de diferentes campanhas no sentido de conscientizar a sociedade de que quando a violência existe em uma casa, ela influencia o desenvolvimento daquela família. Os filhos são extremamente prejudicados, pois crescem em um ambiente onde estão aprendendo que a resposta aos conflitos deve ser através da violência", destacou.

Nilcéia adiantou que está sendo finalizado um programa em parceria com o Ministério da Educação e com a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial para que as temáticas de gênero, raça e orientação sexual sejam incluídas na rede pública de ensino. A intenção, conforme explicou, é atuar desde cedo na formação de cada menino e menina para que eles possam se posicionar na sociedade de maneira diferente.