As igrejas cristãs também são vítimas da violência armada. A afirmação foi feita pelo reverendo José Pontes, da Igreja Metodista, um dos coordenadores do Mutirão Nacional de Entrega de Armas, que está sendo realizado hoje nas principais capitais brasileiras.

"Conheço casos de pastores que já foram assaltados antes de chegar à igreja, e até mesmo durante o culto. Algumas igrejas nem podem abrir os templos para realizar os cultos à noite por causa da violência", informou.

Segundo o reverendo, mais de 50 igrejas cristãs paulistas se cadastraram no mutirão e passam o dia de hoje com os templos abertos para recolher armas de fogo. Os pastores e padres receberam treinamento sobre o recolhimento das armas e orientações para os fiéis.

Em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, será realizada uma Caminhada pela Paz e o Desarmamento, reunindo representantes da Igreja Metodista e de outras religiões cristãs, além de organizações não-governamentais, como o Instituto Sou da Paz.

"Não será um culto, será um ato público pelo desarmamento. Nas igrejas evangélicas, chamamos de ?culto cívico?. O que queremos é conscientizar a sociedade sobre a violência e a necessidade do desarmamento para combatê-la", informou o reverendo Pontes.