A Guiana e a Venezuela pediram na noite de sexta-feira (31) a reativação de uma comissão da Organização das Nações Unidas (ONU) para solucionar uma disputa de um século entre os dois países por uma área fronteiriça de aproximadamente 160.000 quilômetros quadrados repleta de riquezas minerais.

As negociações sobre a região de Essequibo, rica em petróleo e gás natural, estão suspensas há anos, mas deverão ser retomadas em breve, disseram hoje diplomatas dos dois países sul-americanos depois de dois dias de reuniões em Georgetown, a capital da Guiana.

Um tratado de 1899 obrigaria a Venezuela a dar à então Guiana Inglesa a região de Essequibo. Devido à insistente recusa venezuelana em ceder o território, os dois países comprometeram-se em abrir negociações com base em um acordo mediado pela ONU em 1966.

Desde então, Caracas e Georgetown nunca conseguiram chegar a um consenso e as negociações acabaram suspensas. A disputa impede a exploração de petróleo e gás natural, entre outras riquezas minerais, nesta região escassamente povoada na fronteira entre os Venezuela e Guiana.