O candidato da Frente Brasil Esperança a presidente, Anthony Garotinho (PSB-PGT-PTC), disse que ?não é a economia que determina a política, mas a política que determina a economia?. Segundo Garotinho, a abolição da escravatura teve a oposição dos economistas que argumentavam que o fim da escravidão teria um custo muito alto para a agricultura. ?Então  pelos economistas da época, teria escravos até hoje?, disse, em entrevista ao jornal ?O Globo?.

As afirmações fizeram parte de um conjunto de respostas que deu a questionamentos sobre como o governo federal teria recursos para cobrir um reajuste do salário mínimo para 280 reais, como propõe o programa de governo do PSB.

Ele defendeu a medida como principal instrumento de distribuição de renda e disse que as verbas viriam de um corte de 10% na rubrica Outros Custeios e Capital (OCC) do Orçamento Geral da União, que equivaleria a R$ 4 bilhões, e da redução dos juros. ?Cada pontinho que você elimina da taxa de juros é uma economia de R$ 5 bilhões?, disse, lembrando que a taxa de juros real média para países emergentes é de 3% e a do Brasil está em 10%. ?Há recursos de sobra?, afirmou.

Garotinho argumentou ainda que ?o Brasil não é a Argentina, com todo o respeito que nós temos à Argentina? e que, como governador do Rio, renegociou a dívida do Estado com a União. ?Não podia renegociar, mas eu fui renegociar?, disse.