A ministra de Comércio Exterior da França, Christine Lagarde, reuniu-se nesta quinta-feira (1.º) com o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, juntamente com uma comitiva de empresários e parlamentares franceses. Ela expôs os planos franceses para a ampliação das relações comerciais entre os dois países e disse que o Programa de Aceleração ao Crescimento (PAC), anunciado na última semana pelo governo brasileiro, pode incentivar uma ampliação do investimento privado no País. "As empresas francesas podem participar do movimento de crescimento incentivado pelo poder público." Ela acrescentou que setores como obras públicas, que não estão presentes nos investimentos franceses atualmente, podem ocorrer.

Ela ressaltou ainda que a ampliação da corrente comercial entre os dois países pode ocorrer tanto em termos de exportação quanto de investimentos. Podem ser alvos, segundo Lagarde, os setores agroalimentar, de infra-estrutura, de energia, transporte e cultura. Segundo a ministra, o Brasil é um dos 25 países determinantes para as relações comerciais da França e que as relações, atualmente entre 4,5 bilhões e 5 bilhões de euros, estão insuficientes.

A Ministra destacou também que a França está presente no Brasil através de 400 empresas instaladas, que geram cerca de 250 mil empregos. "Em termos de investimentos somos o quarto maior investidor estrangeiro no Brasil." Atualmente o saldo comercial entre os dois países é deficitário ao Brasil, em US$ 174 milhões resultado de US$ de 2,6 bilhões em exportações e US$ 2,8 bilhões em importações.