A América Latina está hoje muito mais preparada para enfrentar turbulências na economia mundial, principalmente por causa da melhora de sua situação fiscal. Mas, apesar da perspectiva positiva para a região, muitos de seus países continuam vulneráveis às oscilações nos preços das commodities e mercados financeiros. A avaliação é do relatório "Latin America@Risk", do Fórum Econômico Mundial

"Uma desaceleração econômica mundial afetaria seriamente o crescimento da região e o bem-estar de sua população", afirma o estudo. Um "pouso forçado" da economia chinesa ou um crescente protecionismo comercial dos Estados Unidos são exemplos de desafios que poderão vir a ser enfrentados pela região.

O levantamento, resultado das análises de mais de 20 representantes de empresas, universidades e consultorias da região, aponta os principais riscos econômicos, políticos, ambientais e sociais e será debatido na reunião do Fórum Econômico Mundial sobre a América Latina, nos dias 25 e 26 de abril em Santiago do Chile.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo