Rio de Janeiro, 24 (AE) – A goleada do Flamengo sobre a Portuguesa nesta quinta-feira, por 4 a 1, no Maracanã, pode passar a impressão de que a equipe do técnico Cuca jogou bem e venceu com facilidade. Ledo engano. Atuou mal maior parte do jogo, levou alguns sustos do frágil adversário e somente definiu o triunfo nos cinco minutos finais, com gols de Dimba e Emerson.

O treinador rubro-negro sabe que terá muito trabalho pela frente para corrigir os erros do time. Mas, ao menos, sentiu-se aliviado com os três primeiros pontos na Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca.

O Flamengo se aproveitou de dois erros individuais da Portuguesa para marcar seus gols no primeiro tempo. Logo aos 8 minutos, o estreante goleiro Braz não segurou chute de Alessandro, de fora da área, e o lateral-esquerdo André Santos somente teve o trabalho de concluir para o gol vazio: 1 a 0.

No lance seguinte à saída de bola, o atacante Bilula perdeu, de cabeça, uma ótima oportunidade para empatar o jogo. A zaga rubro-negra apenas assistiu ao lance. Mesmo não jogando bem o Flamengo ampliou o marcador aos 17 minutos. O lateral-esquerdo Alan errou passe dentro da própria área e, não satisfeito, derrubou o meia Caio. Pênalti claro.

Dimba fez 2 a 0.

Apesar da fragilidade do adversário, pior equipe tecnicamente do Carioca, o Flamengo não conseguiu criar boas jogadas. Parecia acomodado com a vantagem. Errava passes em excesso. Do lado da Portuguesa, apenas um lençol de Gullit em cima do zagueiro Fabiano no meio-de-campo mereceu aplausos dos torcedores.

E se no primeiro tempo o Flamengo esteve mal em campo, no segundo também ficou devendo um bom futebol à torcida. Levou alguns sustos e quase cedeu o empate. Mas nos minutos finais, marcou dois gols para alívio do técnico Cuca. Éberson, camisa 10 da Portuguesa, foi o destaque da Portuguesa. Ele arriscou dois chutes de fora da área com muito perigo ao gol de Diego.

No primeiro, a bola passou rente à trave. No segundo, o goleiro rubro-negro fez boa defesa. Diego somente não conseguiu evitar uma cabeçada, de Bibi, aos 8 minutos. A zaga rubro-negra mais uma vez facilitou a vida dos atacantes adversários. A torcida do Flamengo perdeu a paciência após assistir sucessivos erros de passes, lançamentos, e de marcação, e cobrou raça dos jogadores. Pelo menos vontade eles mostraram, mas faltou o principal: técnica.

Quase no fim da partida, após bom passe de Felipe Gabriel, o artilheiro Dimba, sozinho, concluiu bem: 3 a 1. Dois minutos depois, o mesmo Felipe Gabriel deu bom passe para Emerson, chutar forte e rasteiro. Braz, pela segunda vez, falhou: 4 a 1. O Rubro-Negro venceu pela primeira vez no Maracanã em 2005 – empatou uma vez e perdeu duas -, mas não convenceu.

Ficha Técnica

Flamengo 4 x 1 Portuguesa

Gols – André Santos, aos 8 minutos, e Dimba, aos 17 do primeiro tempo; Bilula aos 10, Dimba, aos 43, e Emerson, aos 45 da segunda etapa.

Flamengo – Diego; Ricardo Lopes, Júnior Baiano, Fabiano e André Santos; Da Silva, Jônatas (Renato), Zinho (Emerson) e Caio (Felipe Gabriel); Dimba e Alessandro. Técnico – Cuca.

Portuguesa – Braz; Leandro Gil, Marlon, Marcelão e Alan; Marcelo Cardoso, Gullit, Éberson e Marcinho (Ratinho); Róbson Bilula (Bibi) e Orlando. Técnico – Manoel Neto.

Juiz – Ubiraci Damásio de Oliveira Cartão amarelo – Alessandro, Éberson, Júnior Baiano, Marcelo Cardoso.

Público – 23 mil

Local – Maracanã.