O crescimento de 19,5% registrado nas exportações brasileiras nas duas primeiras semanas de junho é resultado do aumento das vendas nas três categorias de produtos. Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, as exportações de semimanufaturados aumentaram 43% em relação a junho do ano passado, principalmente as de açúcar em bruto, zinco em bruto, alumínio em bruto, couros e peles, celulose e ferro-ligas.

Os embarques de manufaturados subiram 21,1%, por conta de tubos de ferro fundido, suco de laranja, aviões, açúcar refinado, chassis com motor, polímeros plásticos, óleos combustíveis e motores para veículos. Os básicos cresceram 7,9%, puxados pelas vendas de milho em grão, minério de cobre, minério de ferro, carne bovina e fumo em folhas. Em relação a maio, as exportações em junho apresentaram crescimento de 18,7%.

As importações continuam crescendo em ritmo mais forte que as exportações. Na comparação com junho de 2005, houve um aumento de 30,8%. Elevaram-se os gastos, principalmente, com produtos siderúrgicos, combustíveis e lubrificantes, automóveis e partes, produtos farmacêuticos, cereais e produtos de moagem, equipamentos elétricos e eletrônicos e equipamentos mecânicos. Em relação a maio, houve avanço nas importações de siderúrgicos, cereais e produtos de moagem, combustíveis e lubrificantes, farmacêuticos, automóveis e partes e equipamentos mecânicos.

Na segunda semana de junho, as exportações do País somaram US$ 2 772 bilhões e as importações, US$ 1,982 bilhão, resultando em superávit de US$ 790 milhões. No mês, as exportações somam US$ 3 880 bilhões e as importações, US$ 2,569 bilhões, com superávit de US$ 1,311 bilhão. No ano, as exportações totalizam US$ 53,346 bilhões e as importações, US$ 36,571 bilhões, com saldo positivo de US$ 16,775 bilhões. O superávit acumulado no ano continua inferior ao do mesmo período de 2005, quando somava US$ 17,261 bilhões.