As vendas de automóveis na China aumentaram 32,37% em 2010, para 18,06 milhões de unidades, segundo informou hoje a Associação de Fabricantes de Automóveis do país. Em dezembro, as vendas cresceram 17,9% em relação ao mesmo mês de 2009, para 1,67 milhão de unidades. No maior mercado automotivo do mundo, as vendas de veículos de passageiros subiram 33,2% no ano passado, para 13,76 milhões de unidades, enquanto em dezembro houve alta de 18,6% ante dezembro de 2009, para 1,3 milhão de unidades.

A associação informou esperar que, em 2011, as vendas de automóveis aumentem entre 10% e 15%, apesar das medidas tomadas pela cidade de Pequim para limitar o número de carros vendidos e do fim dos incentivos do governo para compra de carros.

No mês passado, o Ministério de Finanças chinês informou que o imposto sobre a compra de carros de passageiros com motor de 1,6 litro ou menos voltaria para 10% em 1º de janeiro, acabando com uma política de incentivo que havia reduzido a taxa para 7,5%.

Projeção do PIB

A economia da China deverá crescer cerca de 9,5% em 2011, o que indica uma desaceleração em relação a 2010, em razão da lenta recuperação econômica global e do fraco ritmo de crescimento doméstico, informou Xu Ce, pesquisador do departamento de estimativas do Centro Estatal de Informações, em um artigo publicado no China Youth Daily.

O Produto Interno Bruto (PIB) do país teve expansão de cerca de 10% no ano passado, como informou no sábado Li Keqiang, vice-premiê chinês. De acordo com Xu, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) da China pode ser de 4% neste ano. As informações são da Dow Jones.