O presidente Michel Temer afirmou nesta quinta-feira, 11, que pode, “eventualmente”, editar uma medida provisória para fazer alterações na reforma trabalhista que foi aprovada na Câmara e agora tramita no Senado. A declaração foi dada em entrevista à TV Bandeirantes, exibida há pouco.

Na terça-feira, 9, em reunião com senadores, para evitar que a reforma trabalhista seja alterada no Senado e tenha que retornar à Câmara, foi de iniciativa do próprio Temer propor a edição de uma medida provisória que altere os pontos de interesse dos senadores. Uma das possibilidades é rever o fim do imposto sindical.

Na entrevista desta quinta-feira, Temer ressaltou que tem confiança na aprovação das reformas, referindo-se também à reforma da Previdência. Acrescentou ainda que, passado esse “primeiro ciclo de reformas”, o governo vai se empenhar em realizar uma simplificação tributária.

Sobre as dificuldades que enfrenta ao lidar com a oposição no Congresso, o presidente afirmou que a cultura política brasileira é marcada por oposições que tentam “destruir” os governos e não colaborar. “Correto seria oposição aplaudir o que é favorável ao povo, e não o enfrentamento”, disse.

Ainda sobre questões trabalhistas, Temer admitiu que o governo tem estudado medidas para incentivar a contratação de pessoas idosas. No fim da entrevista, ele disse que sugere otimismo ao povo brasileiro, argumentando que alguns indicadores da economia já antecipam o fim da recessão.