Os bancos credenciados para efetuar empréstimos com desconto na folha de pagamento do funcionalismo estadual não poderão cobrar juros maiores que 3,2% dentro de no máximo um mês. Hoje eles chegam a oferecer taxas de 4,7%. A informação é do secretário da Administração e da Previdência, Reinhold Stephanes, que está elaborando resolução que institui o novo limite e deve entrar em vigor até o final de novembro.

O limite estabelecido pelo governo anterior e que ainda vigora é de 5%, lembra Stephanes, ao justificar que a medida considera o cenário nacional, que há dois meses vem registrando quedas sucessivas nas taxas de juros.Das 23 instituições, entre bancos e financeiras, que estão credenciadas a prestar serviços de empréstimos ao servidor, Stephanes conta que pelo menos duas já oferecem juros no patamar que a resolução vai instituir. “Isso mostra que os bancos podem baixar o juros”, acredita o secretário.