O setor público (Governo Central, governos regionais e estatais) apresentou em maio superávit primário de R$ 9,295 bilhões. O resultado superou as estimativas dos especialistas ouvidos pela Agência Estado, de R$ 8 bilhões (estimativas de R$ 5,5 bilhões a R$ 11 bilhões). Em maio do ano passado, o superávit foi de R$ 6 303 bilhões.

Do resultado de maio, o Governo Central contribuiu com R$ 5,345 bilhões, os governos regionais tiveram superávit de R$ 2,849 bilhões – tendo os Estados um superávit de R$ 2,965 bilhões e os municípios, um déficit de R$ 116 milhões. As empresas estatais registraram superávit de R$ 1,102 bilhão, sendo R$ 1,001 bilhão das estatais federais, R$ 136 milhões das estaduais. As estatais municipais registraram déficit de R$ 35 milhões.

No acumulado do ano, o setor público tem superávit de R$ 60,027 bilhões, o equivalente a 6% do PIB do período. Nos cinco primeiros meses do ano passado, o saldo era de R$ 46,710 bilhões que correspondia a 5,12% do PIB. De janeiro a maio, o Governo Central teve superávit de R$ 38,642 bilhões, os governos regionais, saldo positivo de R$ 16,242 bilhões – sendo R$ 14,551 bilhões dos Estados e R$ 1,691 bilhão dos municípios. As estatais acumulam, no ano, economia de R$ 5,143 bilhões, com as estatais federais contribuindo com R$ 3,325 bilhões, as empresas estaduais, R$ 1,778 bilhão, e as municipais, com R$ 39 milhões.

No acumulado de 12 meses encerrados em maio, o superávit primário do setor público ficou em R$ 103,461 bilhões. O valor corresponde a 4,29% do PIB, portanto acima do porcentual de 3,8% do PIB equivalente à meta fixada pelo governo para o ano de 2007.