Os funcionários da unidade Anchieta da Volkswagen, localizada em São Bernardo, no ABC paulista, querem disputar o projeto de produção do novo veículo popular – derivado do Polo e apelidado de Tupi -, que será produzido a partir de 2003 no Brasil. Pelo projeto inicial, o carro seria produzido na fábrica de São José dos Pinhais, instalada na Região Metropolitana de Curitiba (PR).

Mas os dirigentes da montadora deram aos funcionários de São Bernardo a chance de dividir com os trabalhadores de São José dos Pinhais a produção do Tupi. Pela proposta da empresa, a versão nacional ficaria com a fábrica de São José dos Pinhais e o modelo exportação, na unidade Anchieta. Em contrapartida, os funcionários de São Bernardo têm de aceitar a proposta de terceirização da Volkswagen, que envolve cerca de 1.500 funcionários das alas 5 (câmbio, motor, transmissão), 8 (ferramentaria), 13 (casa de tintas) e 21 (peças e acessórios).

A montadora informou à comissão de fábrica que é preciso dar início à terceirização desses setores para que a unidade Anchieta tenha competitividade para disputar o projeto de produção do Tupi Europa, como está sendo chamada a versão exportação do novo veículo. Os funcionários dessas alas seriam aproveitados pela Volkswagen na linha de produção e outras setores da montagem de veículos. O serviço terceirizado seria feito por prestadores de serviços. A montadora, que não confirma as informações, teria avisado aos funcionários que haverá cerca de 3.000 funcionários excedentes até 2005 na Anchieta se o Tupi não for produzido em São Bernardo.

A unidade Anchieta é responsável pela fabricação do Polo, Gol, Santana, Kombi e Saveiro. Pelas previsões da comissão de fábrica, os modelos Santana, Kombi e Saveiro deverão deixar de ser produzidos até 2005. No mesmo período, a produção do Gol e da Saveiro deve ser transferida para a unidade de Taubaté, no interior de São Paulo.

Para garantir os empregos dos funcionários de São Bernardo, a comissão de fábrica considera essencial trazer para a unidade a produção do Tupi Europa. A dificuldade é que a Volkswagen é uma montadora que incentiva a disputa entre todas as suas fábricas pelo projeto de produção de um novo veículo. A concorrência é vencida pela unidade que oferecer as melhores condições de competitividade e qualidade para a montadora.