O mercado financeiro amanheceu nervoso e foi demonstrando melhora de humor no decorrer do período. O dólar chegou a ser vendido a R$ 3,265, com alta de 3,65%, mas depois recuou chegando a operar na mínima de R$ 3,15, com valorização de 0,48%.

Há pouco, às 15h06, a moeda norte-americana estava sendo vendida a R$ 3,1750, em alta de 0,79% em relação ao fechamento de ontem. No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), pagavam taxas de 23,100% ao ano, frente a 23,740% ao ano negociados ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo registrava queda de 0,12%.

Operadores dizem que a redução da pressão sobre a cotação da moeda norte americana acompanhou a melhora na performance do preço dos C-Bonds (títulos da dívida externa mais negociados no exterior). O mercado comenta que o Banco Central tenha atuado através da compra de C-Bonds e também pela venda de dólares no mercado à vista. Nenhuma das duas operações foi confirmada oficialmente até o momento.

No final da manhã, o comportamento do dólar foi beneficiado por outro rumor. Desta vez, os comentários referiam-se à pesquisa Ibope que será divulgada na noite de hoje. A expectativa comentada pelo mercado é de que Serra apresente melhora e Ciro perca pontos junto ao eleitorado.

Além disso, de acordo com este último levantamento, Lula estaria empatado com Ciro nas projeções do segundo turno. Embora não tenha abandonado sua preferência pelo candidato do governo, José Serra, entre os dois líderes das pesquisas, o mercado hoje escolhe Lula. Ciro é a possibilidade mais rejeitada pelos investidores do mercado financeiro.