O preço da energia ofertada no Leilão de Ajuste desta quinta-feira, 15, pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) já ultrapassou o patamar de R$ 200/MWh para contratos de três e seis meses nas regiões Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Nordeste. O preço da energia para a região Norte, nos mesmos prazos de três e seis meses, ainda está levemente abaixo de R$ 200/MWh.

Especialistas do setor elétrico ouvidos pelo Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, avaliam que o preço dos contratos supere os R$ 300/MWh, ficando possivelmente em um patamar entre R$ 360/MWh e R$ 380/MWh. Próximo, portanto, dos R$ 388,48/MWh (para as regiões Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Nordeste) estabelecidos como valor máximo do leilão. O valor também é idêntico ao teto imposto pela Aneel ao preço de liquidação das diferenças (PLD), o qual baliza o preço da energia no mercado de curto prazo.

O 8º Leilão de Ajuste promovido de forma eletrônica a partir do site da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) tem sistemática que prevê preços ascendentes, a partir de um piso de R$ 30,26/MWh, para contratos de três e seis meses de fornecimento. O limite máximo do preço da energia negociada no leilão foi estabelecido em R$ 388,48/MWh para as regiões Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Nordeste, valor idêntico ao teto imposto ao preço de liquidação das diferenças (PLD) – referência do preço da energia no mercado de curto prazo. O preço máximo da energia para a região Norte ficou estabelecido em R$ 364,88/MWh para contratos de três meses e R$ 319,52/MWh para os contratos de seis meses.