O superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Eduardo Requião, anunciou anteontem o início das obras na Vila da Madeira, área de 66 mil m2 pertencente à autarquia, onde serão instalados terminais para movimentação de mercadorias do segmento da carga geral e granéis líquidos, principalmente álcool industrial.

?Esta é uma área de logística importante, porque multiplica nosso espaço na área primária do porto. Estamos investindo num segmento que gera muitos empregos diretos, com a movimentação de cargas como a madeira. Não serão armazéns para mantermos cargas na área primária, mas sim para agilizarmos o fluxo das mercadorias?, disse Eduardo Requião.

Em novembro do ano passado, a Appa estudava a viabilidade dos projetos e, depois da avaliação dos técnicos, os empreendimentos começaram a ser postos em prática neste ano. Segundo o superintendente, nos próximos 90 dias tem início a primeira etapa do projeto, com as obras do terminal para carga geral.

No local, serão instalados armazéns vinílicos móveis com capacidade para 3 mil m2 cada um. Perspectivas da Appa apontam que a estrutura possibilitará o crescimento em mais de 1 milhão de toneladas de carga geral por ano de funcionamento do terminal.

A nova estrutura dedicada à carga geral atende a um segmento que é um dos maiores empregadores diretos de mão-de-obra no Porto de Paranaguá. ?Nossa proposta é oferecermos uma estrutura pública, moderna, ágil, com baixos custos operacionais, altos índices de segurança e principalmente de atendimento ao cliente?, acrescentou o superintendente.

Álcool

Após a conclusão da primeira etapa das obras, será iniciada a construção de um parque de tancagem para operações com álcool. Os tanques terão capacidade para 35 mil m3 e serão instalados em área já prevista no Plano de Desenvolvimento e Zoneamento do Porto Organizado (PDZPO).

?O plano define a área como destinada ao terminal para produtos líquidos de forma definitiva. Num curto prazo, teremos este terminal pronto para atender a uma demanda em potencial crescimento, fazendo com que o Porto de Paranaguá esteja em perfeita sintonia com uma tendência mundial de especialização de terminais e berços?, disse ainda Eduardo Requião.

As melhorias previstas na Vila da Madeira concentram-se em várias frentes. Entre elas, está a demolição de armazéns, a regularização do terreno, drenagem, instalação de cerca em tela, construção de cabine e de escritório da administração. O projeto terá, ainda, balanças rodoviárias de plataforma para 100 toneladas de capacidade. As obras deverão estar concluídas dentro de 120 dias.

Mercado

O terminal público de granéis líquidos atenderá, principalmente, o mercado asiático, grande consumidor de álcool, e outros mercados compradores de produtos químicos que vêm fazendo parte da pauta de exportações brasileiras.

Para se ter uma idéia do que a Ásia representa no mercado internacional, há quase dois anos o Japão liberou uma mistura de até 3% de álcool combustível na gasolina, o que corresponde a 1,8 bilhão de litros de álcool combustível misturados num universo de 60 bilhões de litros de gasolina consumidos por ano pelos japoneses.