Foto: Walter Alves/O Estado

Postos de pedágio: consumidor até aceita, mas considera o serviço muito caro.

Com a concessão de sete novos trechos de rodovias federais previsto no programa de concessões rodoviárias do governo federal, serão instalados 62 novos postos de cobrança de pedágio nos próximos anos. A nova etapa do programa abrange 2.600 km de estradas e está em processo de licitação.  

O número de pedágios no Brasil vai aumentar dos atuais 331 postos para 393, de acordo com levantamento feito pelo SOS Estradas, programa que visa à redução de acidentes nas rodovias. O estudo considerou todos os pontos de cobrança, incluindo aqueles administrados por órgãos estaduais, como o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) de São Paulo.

Caro

De acordo com o coordenador do SOS, Rodolfo Alberto Rizzotto, o levantamento faz parte de um estudo comparativo sobre a concessão de rodovias no Brasil e no exterior, a ser lançado em janeiro. Segundo Rizzotto, já se sabe que o pedágio brasileiro é muito caro. Nas rodovias federais, o valor médio por km é de R$ 0,07, o mesmo cobrado nos Estados Unidos. Os valores do pedágio na Europa ainda estão sendo levantados.

Já nas rodovias paulistas, de acordo com suas contas, o custo por km sobe para R$ 0,11. Esse valor é contestado pela Agência Reguladora dos Transportes do Estado de São Paulo (Artesp). De acordo com o órgão, nas rodovias de pista simples, o valor é de R$ 0,07 por km, nas pistas duplas varia de R$ 0,10 a R$ 0,11. Rizzotto alega que são poucas as pistas pedagiadas com pista simples.

Em discussão

Pelas contas da entidade, um usuário que viajar de automóvel passando pelos 331 postos já instalados vai pagar R$ 1.737,00 de tarifa. A mesma viagem feita de ônibus ou de caminhão com 4 eixos irá custar R$ 6.184,00 só de pedágio.

O objetivo do estudo, segundo ele, é colocar em discussão as futuras concessões, já que as atuais estão ?engessadas? pelos contratos. ?Não somos contra as concessões, mas é preciso que elas atendam o interesse público.? Pesquisas on-line feitas pela entidade com cerca de 15 mil usuários revelaram que 61% são favoráveis à concessão para a melhoria das condições das rodovias, mas 92% consideram o valor do pedágio alto.

Falso

A Associação Brasileira de Concessões Rodoviárias (ABCR) divulgou nota em que considera ?falsos? os números apresentados pelo SOS Estradas. Segundo a entidade, as 36 concessionárias que operam no Brasil são responsáveis por 162 praças de cobrança.

Rizzotto explicou que o critério de postos de cobrança é mais preciso, pois há casos de praças que têm dois postos operando com tarifas diferentes. Na sua conta entraram também os postos instalados em rotas de fuga.

Sem comparação

Segundo a ABCR, não há como comparar o custo do pedágio no Brasil com os Estados Unidos, pois lá não são incluídos na tarifa serviços de primeiros socorros, por exemplo. De acordo com a entidade, um estudo divulgado em dezembro de 2005 mostrou que a cada R$ 1,00 pago de pedágio nas rodovias paulistas, a sociedade recebe de volta R$ 1,84 em benefícios como economia de combustível, redução no custo de transporte e na emissão de carbono.