As medidas de estímulo econômico já anunciadas pelo governo federal estão na direção certa, mas não foram suficientes para destravar o crescimento da economia brasileira, segundo Flávio Castelo Branco, gerente executivo de Política Econômica da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Para ele, é necessário mais políticas para redução de custos e celeridade nos projetos de infraestrutura.

“Essas medidas não tiveram potência suficiente para reverter esse quadro de dificuldade competitiva. É preciso mais intensidade ou mais celeridade para reverter esse quadro”, afirmou. “Está difícil estimular o investimento e a expansão do consumo não se sustenta em um horizonte mais longo.”

Castelo Branco afirmou que os fundamentos da economia brasileira, como inflação, contas fiscais e externas, mostram deterioração. “Isso reflete não só mudanças na economia mundial, mas questões domésticas, principalmente com o recrudescimento da inflação.”