A agência de classificação de risco Moody’s Investors Service colocou sob revisão para possível elevação a nota (rating) de depósitos em moeda estrangeira de longo prazo (Ba2) do Banco do Brasil (BB), do Banco Nossa Caixa, da Caixa Econômica Federal (CEF) e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A decisão, segundo relatório da agência, segue a revisão do teto soberano em moeda estrangeira do Brasil para possível elevação.

As notas de depósitos em moeda estrangeira de curto prazo (Not Prime) não foram afetadas e permanecem inalteradas. Também foram colocados sob revisão para possível elevação os ratings em moeda estrangeira (Baa3) atribuídos a bônus emitidos pelo BB e BNDES.

Simultaneamente, a Moody’s colocou sob revisão para possível rebaixamento os ratings globais de depósito em moeda local, de longo e curto prazo, A1/ Prime-1 do BB, Banco Nossa Caixa e da CEF, bem como o rating de emissor em moeda local A1 atribuído ao BNDES.

Em relatório, a agência atribuiu a medida à reavaliação global sobre suporte sistêmico para bancos que promoveu recentemente, após a crise financeira mundial. Os ratings de dívida e de emissor em moeda local A1 atribuídos ao BNDES Participações (BNDESPar) também foram colocados sob revisão para possível rebaixamento.

Bancos privados

A Moody’s colocou também sob revisão para possível elevação os ratings de depósito em moeda estrangeira de longo prazo Ba2 de diversos bancos privados brasileiros. Também foram colocados sob revisão para possível elevação os ratings de dívida em moeda estrangeira Baa3 de alguns bancos brasileiros selecionados assim como os ratings de bônus perpétuos subordinados em moeda estrangeira de longo prazo Baa3 do Banco Bradesco, Grand Cayman Branch; Banco Santander SA – Cayman Branch e Itaú Unibanco (Cayman Islands).

A decisão, acrescenta a agência, segue a revisão para

possível elevação do teto brasileiro para bônus e notas em moeda estrangeira Baa3, bem como o teto brasileiro para depósitos em moeda estrangeira Ba2. A ação, afirma a Moody’s, não tem efeito sobre os ratings de força financeira (BFSRs) ou sobre os ratings de depósito em moeda local ou suas respectivas perspectivas.