O Mercosul abriu nesta quarta-feira (27) o debate sobre a reforma da Tarifa Externa Comum (TEC), em especial dos capítulos que abarcam produtos industrializados, motivada pela expectativa de conclusão da Rodada Doha da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Segundo o diretor do Departamento Econômico do Itamaraty, Carlos Márcio Cozendei, tratou-se de uma discussão preliminar sobre uma alteração que se tornará inevitável, mesmo que o compromisso dos quatro sócios originais do bloco na OMC não for de abertura incisiva nos seus mercados industriais. A rigor, essa reforma deverá também adequar a TEC, que começou a ser aplicada em janeiro de 1995, à estrutura produtiva atual do bloco.