Brasília (ABr) – O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, tomou posse no cargo ontem e anunciou metas como a geração de mais de 100 mil empregos por mês até o final do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. ?Esse objetivo é uma necessidade. Vamos acrescentar mais famílias ao mercado de trabalho e dar maior atenção à especialização da mão-de-obra e ao primeiro emprego?, disse.

O novo ministro informou que dará continuidade às ações desenvolvidas por Ricardo Berzoini: ?A idéia é focar a atenção na juventude, o que já vinha ocorrendo, combatendo o trabalho infantil e o trabalho escravo?.

Na solenidade de transmissão de cargo, Marinho também garantiu que ?vamos fazer de tudo para que a reforma sindical e a trabalhista sejam votadas pelo Congresso Nacional?. Na opinião dele, ?a reforma sindical deve estar à frente da trabalhista, possibilitando um aumento da representatividade dos sindicatos e uma modernização das relações do capital e trabalho?.

Sobre o salário mínimo, o novo ministro disse que criará uma comissão permanente para estudar os índices que regulam o valor, além de promover discussões técnicas: ?Vamos instalar nos próximos 15 dias a comissão permanente do salário mínimo, como forma de provocar a distribuição de renda e melhorá-la?.

A cerimônia de transmissão de cargo lotou o auditório do ministério e reuniu sindicalistas, empresários, deputados federais, assessores da Presidência da República, além dos ministros Olívio Dutra (Cidades) e Waldir Pires (Corregedoria Geral da União).