O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que não vê sinalização negativa vinda da ata do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, divulgada esta manhã. "É prematuro avaliar. Não vejo sinalização negativa. A economia cresce de forma robusta e o crescimento não será afetado por quaisquer das posições que se possam tomar na próxima reunião do Copom, de modo que estamos tranqüilos quanto ao desempenho da economia", disse.

Em relação à menção na ata de que havia motivos para interrupção na queda dos juros, Mantega afirmou: "isto tudo é prematuro porque temos que observar o comportamento de preços nos próximos quarenta dias para depois vermos qual posição o Copom vai tomar".

Para o ministro, a alta recente dos preços não é relevante, mas sim localizada, principalmente em alimentos, que estão influenciados pela sazonalidade da entressafra, que poderá ser superada com as novas safras.