Treze regiões e doze setores da indústria ampliaram o número de trabalhadores no primeiro trimestre do ano, segundo a Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário, divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O emprego industrial teve expansão de 2,6% de janeiro a março, ante o mesmo período do ano passado.

Os setores que mais ampliaram o número de empregados foram meios de transporte (8,3%), produtos de metal (8,3%), máquinas e equipamentos (6,4%), máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (6,9%), alimentos e bebidas (1,7%) e metalurgia básica (8,3%). Já os setores papel e gráfica (queda de 8,0%), vestuário (recuo de 2,8%) e madeira (baixa de 5,7%) registraram taxas negativas no nível de empregos.

Entre as regiões pesquisadas, os destaques positivos foram São Paulo (1,5%), Nordeste (3,0%), Minas Gerais (3,7%), Norte e Centro-Oeste (4,4%), Rio Grande do Sul (3,6%), Paraná (3,1%) e Santa Catarina (2,7%).

Horas pagas

O número de horas pagas aos trabalhadores da indústria em março recuou 0,3% ante fevereiro, na série sem ajustes sazonais, após acumular um ganho de 1,7% nos últimos quatro meses. Com o resultado, o índice de média móvel trimestral subiu 0,2% entre os trimestres encerrados em fevereiro e março, segundo o IBGE.

Em relação a março do ano passado, o número de horas pagas subiu 1,7% – a 14ª taxa positiva consecutiva. No trimestre, o indicador acumula alta de 2,6% e, em 12 meses, crescimento de 4,3% no número de horas pagas.