O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner, disse ao Congresso do país que o governo não vai mais ser capaz de investir integralmente em aposentadoria federal e fundos para incapacitados à medida que os EUA se aproximam do limite de endividamento. “Eu tenho escrito para o Congresso em ocasiões anteriores sobre a importância de uma ação rápida para aumentar o limite de endividamento com o objetivo de proteger a fé e o crédito dos Estados Unidos e evitar consequências econômicas catastróficas para os cidadãos”, disse Geithner em uma carta ao Congresso. “Eu novamente peço ao Congresso que aja para aumentar o limite de dívida estatutário assim que possível.”

Autoridades do Tesouro calcularam no mês passado que hoje seria o dia em que o governo atingiria o limite de US$ 14,294 trilhões e disseram que tomariam medidas para evitar que o país exceda esse teto. Uma autoridade afirmou que o limite deve ser atingido quando o Tesouro concluir uma operação de US$ 72 bilhões em dívida nova leiloada na semana passada.

Geithner afirmou que o Tesouro será incapaz de investir no Fundo de Serviço Civil para Aposentadoria e Incapacidade e no Fundo de Títulos do Governo do Sistema de Aposentadoria dos Empregos Federais. O governo já parou de emitir séries de títulos de governos locais e estaduais, conhecidos como SLGS. Essa medida pode tornar mais difícil para estados e cidades a emissão de dívida.

Republicanos e alguns democratas afirmam que qualquer elevação no limite de endividamento do governo precisa ser acompanhado por trilhões de dólares em cortes de gastos. As informações são da Dow Jones.