A Galileo Educacional, administradora da Universidade Gama Filho e da UniverCidade, informou na manhã deste sábado que ingressou com ação na 5ª Vara de Justiça Federal pedindo R$ 6,9 bilhões de reparação por danos materiais em razão do descredenciamento das duas universidades. A ação foi movida contra a União, o atual ministro da Educação, José Henrique Paim Fernandes, o ex-ministro da Educação e atual chefe da Casa Civil, Aloisio Mercadante, e o secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior do MEC, Jorge Rodrigo Araújo Messias. A Gama Filho e a UniverCidade foram descredenciadas em janeiro passado, depois de uma série de denúncias de irregularidades, deficiências no ensino e problemas financeiros.

Em nota, a Galileo diz que “o MEC, por meio de julgamento sumário, de natureza discricionária, em menos de 30 dias da abertura de processo administrativo, proferiu decisão desproporcional e demasiadamente gravosa contra a UGF e a UniverCidade”. O cálculo para a indenização bilionária, segundo a assessoria de imprensa da Galileo, foi feito “com base nas mensalidades dos cursos, considerando uma projeção futura de 15 anos de perda de receitas”. “O ato de descredenciamento destruiu duas instituições de ensino superior históricas e provocou o desemprego de 2.600 pessoas”, sustenta a Galileo, lembrando que “a Gama Filho tem 75 anos de existência”.