A bolsa de Tóquio fechou nesta segunda-feira com o índice Nikkei 225 em baixa de 78,89 pontos, ou 0,8%, aos 10.013,30 pontos. As preocupações com a dívida da Grécia e com um aperto monetário na China sobrepuseram-se ao crescimento econômico levemente mais forte que o esperado registrado no quarto trimestre do ano passado, de 1,1% ante o terceiro trimestre.

Os investidores venderam principalmente ações de empresas de maquinários de construção e de siderúrgicas, à espera de uma demanda mais fraca para esses setores, bastante ligados à economia chinesa. Assim, Komatsu caiu 2,3%, Nippon Steel recuou 1,9% e JFE Holdings cedeu 2,2%. No setor bancário, o destaque foi a perda de 6,7% do Shinsei Bank, após o jornal Nikkei informar que o Aozora Bank decidiu não fundir-se com o Shinsei em outubro, como estava planejado, por causa da falta de acordo sobre estratégias de negócios.

No restante da região, as bolsas de Hong Kong, Xangai, Taiwan, Cingapura e Coreia do Sul estiveram fechadas, por causa de feriado. Em Sydney, o índice S&P/ASX 200 fechou em queda de 16,6 pontos, ou 0,4%, aos 4.545,5 pontos, em pregão tranquilo. Da mesma maneira que no Japão, pesaram as preocupações com o endividamento da Grécia. A mineradora BHP Billiton caiu 3,1% e Rio Tinto cedeu 1,9%.

Nas Filipinas, o índice PSE fechou em alta de 0,5%, aos 2.963,24 pontos, o quarto pregão consecutivo de alta, sustentado pela procura por ações baratas. As informações são da Dow Jones.