A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), ligada ao Ministério da Agricultura, voltou a reduzir sua projeção para a safra 2008/09, segundo dados do 10º levantamento divulgado hoje. A estimativa para a produção caiu 0,3% em julho ante junho e 7,2% na comparação com o mesmo mês do ano passado, para 133,78 milhões de toneladas. Esta é a menor projeção feita pela estatal desde o início do acompanhamento, em outubro do ano passado.

A estatal explicou, por meio de nota, que as geadas ocorridas no Paraná e em Mato Grosso do Sul, no mês de junho, e a estiagem registrada entre abril e maio na região Sul e em parte do Centro-Oeste reduziram a atual colheita de grãos em 377,5 mil toneladas. A área plantada, entretanto, foi mantida em 47,6 milhões de hectares.

A divulgação feita pela Conab deu ênfase à safrinha de milho. A estatal identificou queda de 13,4% na produção em relação ao ciclo passando, atingindo 16,19 milhões de toneladas. “A combinação de clima ruim, quebra na produtividade e baixos preços no mercado fizeram a safrinha de milho cair”, explicaram os técnicos.

Os técnicos da Companhia deram como exemplo o Mato Grosso do Sul. Nesse Estado, os agricultores obtiveram na safra passada uma produtividade de 3.255 quilos de milho por hectare, em média, enquanto neste ciclo devem colher 2.116 quilos por hectare. No Paraná, a produtividade da safrinha caiu de 3.527 quilos por hectare para 3.091 quilos por hectare.

A expectativa da Conab é a de que parte da quebra na segunda safra de milho será compensada pelo crescimento de produção em Goiás. O Estado, segundo a estatal, é o único da região Centro-Sul a registrar crescimento na área cultivada com o cereal. Foram semeados 357 mil hectares, 85,7 mil a mais, um crescimento de 31,6%. “Com isso, a produção local de milho safrinha terá um incremento de 29,2%, saindo de 1,27 milhão de toneladas para 1,64 milhão de toneladas.” A soma das duas safras de milho chega a 49,45 milhões de toneladas, de acordo com a Conab, uma redução de 15,7% ante a safra anterior e 432,6 mil toneladas a menos que a estimativa anunciada em junho.

 

No caso da soja, mais de 95% da colheita da safra de verão já foi concluída. Assim, a Conab manteve os números para a produção de soja em 57,13 milhões de toneladas, uma queda de 4,8% em relação à safra 2007/08 e idêntico volume anunciado em junho. A companhia também não alterou as estimativas do mês passado para o arroz e o feijão: 12,74 milhões de toneladas e 3,52 milhões de toneladas, respectivamente.

A safra de trigo 2009/10 estimada pela estatal agora é de 5,67 milhões de toneladas ante 5,58 milhões de toneladas previstas em junho. O volume, no entanto, é 5,7% menor que a colhida em 2008/09. A expectativa é a de que a seca no Rio Grande do Sul, segundo maior produtor do cereal, deve diminuir a produção local para 1,76 milhão de toneladas, uma queda de 14,3% na comparação com o ciclo anterior. Já no Paraná, a colheita deve se manter em 3,20 milhões de toneladas, mesmo volume da safra passada.

Para realizar a pesquisa, a Conab entrevistou produtores rurais, agrônomos, técnicos de cooperativas, secretarias de agricultura, agentes financeiros e órgãos de assistência técnica e extensão rural dos principais municípios produtores do país entre os dias 15 e 19 de junho.