O preço médio da cesta básica em agosto subiu em 10 de 17 capitais pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). As maiores altas da Pesquisa Nacional da Cesta Básica, divulgada nesta sexta-feira (2), foram registradas no Rio de Janeiro (4,82%), Porto Alegre (4,49%), Curitiba (2,19%), Aracaju (2,02%) e Florianópolis (2,02%). O conjunto de produtos alimentícios teve queda de preços em Fortaleza (-4,13%), Natal (-1,70%), Goiânia (-0,95%), João Pessoa (-0,94%), Recife (-0,69%), Manaus (-0,56%) e Vitória (-0,47%).

No acumulado do ano, lideram em alta Florianópolis (9,18%), Porto Alegre (7,57%) e Aracaju (6,74%). As capitais que apresentam maiores quedas nos oito primeiros meses do ano são Goiânia (-3,15%), Manaus (-1,57%) e Natal (-0,13%) – as três são as únicas cidades que ainda apresentam deflação no preço da cesta básica em 2011.

Já na variação em 12 meses a alta mais expressiva observada até agosto ocorreu no Rio de Janeiro, com 19,45%. Em seguida aparecem Florianópolis (17,52%) e Belo Horizonte (16,68%). Os preços avançaram em menor ritmo em Goiânia (6,19%), Aracaju (7,30%) e Salvador (8,65%). São Paulo apresentou variação positiva de 1,28% em agosto e acumula em 2011 alta de 0,60% e, em 12 meses, de 13,20%.

A Pesquisa Nacional da Cesta Básica é realizada mensalmente pelo Dieese nas cidades de Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, João Pessoa, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e Vitória. O levantamento avalia preços de 12 a 13 produtos, dependendo da região.