Os mercados acionários europeus encerraram o pregão desta terça-feira, 8, em queda, com as relações entre Estados Unidos e China e o impasse do Brexit sendo interpretados de maneira pessimista por parte dos investidores. Diante do cenário, o índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 1,00%, aos 377,50 pontos.

Os americanos decidiram, na segunda-feira, 7, acrescentar 28 empresas chinesas à chamada “lista de entidades”, por supostas violações a direitos humanos, obrigando-as a ter licenças adicionais para realizar negócios com os EUA.

O país asiático deixou em aberto a possibilidade de uma retaliação, às vésperas da nova rodada de negociações comerciais entre as duas maiores economias do mundo, cujo início está marcado para quinta-feira.

Soma-se às novas tensões a percepção de que Pequim reduziu as expectativas de um acordo comercial com Washington, pela falta de consenso em questões consideradas fundamentais pelos chineses. Com isso, na principal economia da zona do euro, o índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, fechou em queda de 1,05%, aos 11.970,20 pontos.

Investidores também veem com cautela o impasse do Brexit, que ganhou um novo capítulo, considerado sombrio. A autoridade tributária britânica estimou, nesta terça-feira, 8, que uma saída da União Europeia (UE) sem acordo geraria um aumento de custos de 15 bilhões de libras esterlinas por ano para as empresas locais, que teriam de fazer alterações em sua burocracia interna para trocas de mercadorias com o bloco.

A previsão, em meio à falta de sinais de um acordo entre o país e a UE, ampliou a aversão a risco e pressionou o índice FTSE 100, da Bolsa de Londres, que recuou 0,76%, para 7.143,15 pontos, a mínima do dia. Só a EasyJet caiu 7,55%. Para analistas do ING Group, um Brexit sem acordo é improvável em 31 de outubro, mas seu risco ainda não está eliminado para o futuro.

Em Milão, o índice FTSE MIB fechou em baixa de 1,14%, aos 21.405,73 pontos. As ações da fabricante de microchips STMicroelectronics, que costumam ser impactadas por notícias envolvendo a guerra comercial, caíram 2,77%.

Entre os bancos, os papéis do Société Générale cederam 1,72% na Bolsa de Paris, onde o índice CAC 40 perdeu 1,18%, para 5.456,62 pontos.

O índice Ibex 35, da Bolsa de Madri, recuou 1,15%, para 8.940,10 pontos, enquanto o índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, caiu 0,40%, para 4.913,35 pontos.