Foto: Ricardo Stuckert/Agência Brasil

Premiê britânico com Lula.

O Reino Unido apóia a proposta do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de promover uma reunião de líderes mundiais para destravar as negociações na Rodada Doha da Organização Mundial de Comércio (OMC). O primeiro-ministro britânico Tony Blair falou sobre o assunto em entrevista coletiva à imprensa depois do encontro que teve com o presidente brasileiro na sede do governo britânico.

?Nossa visão é que o encontro de líderes será fundamental para desbloquear as negociações. A reunião do G8 (que reúne os sete países mais ricos do mundo e a Rússia) em Gleneagles, na Escócia, mostrou que os líderes mundiais estão preocupados não somente com a pobreza mundial, mas também são capazes de agir juntos para eliminá-la. Agora, precisamos mostrar coragem nesse caminho.?

Questionado por um jornalista britânico se esse desbloqueio das negociações deveria ficar a cargo da União Européia, Blair respondeu que é preciso convencer os outros países da necessidade das nações pobres de ampliar suas oportunidades no mercado mundial.

?Se conseguirmos agir juntos envolvendo toda a comunidade internacional, mudanças políticas ocorrerão não somente na Europa, mas também em outros países. O sucesso ou o fracasso da Rodada Doha será um forte indicador do comprometimento que os países têm com o comércio multilateral?, disse Blair.

A Rodada Doha é o resultado da IV Conferência Ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC), ocorrida em Doha, no Catar, em novembro de 2001, que estabeleceu os parâmetros para o início de novas negociações mundiais de comércio.

A princípio, a nova rodada deveria ter sido concluída em três anos. Até 2005, vários temas foram discutidos para disciplinar e estabelecer novas regras em setores como agricultura, serviços, acesso a mercados, propriedade intelectual, antidumping, solução de controvérsias, comércio eletrônico e política de concorrência, entre outros.

Ciclo de desenvolvimento

Após o encontro com o primeiro-ministro britânico Tony Blair, o presidente Lula fez um curto pronunciamento, no qual destacou que ?um ciclo de desenvolvimento sustentado é fundamental para consolidar definitivamente a democracia na América Latina e para que possamos ajustar as dívidas sociais e seculares que cada país tem com seus povos?.

O presidente brasileiro disse ter reafirmado um compromisso com Tony Blair no sentido do cumprimento das Metas do Milênio, assim como a ratificação do apoio ao combate à fome no mundo.

Lula assinalou, ainda, existir um grande espaço disponível para que Brasil e Grã-Bretanha desenvolvam uma parceria no setor de energia, em especial nas áreas de etanol e biodiesel, para aprimoramento de tecnologias de produção.