O Banco do Brasil (BB) liberou hoje (2) mais R$ 2 bilhões para a safra 2002/03, cujo plantio está começando agora. O presidente em exercício do Banco do Brasil, Ricardo Conceição, explicou que, desse total, R$ 1,5 bilhão se destina ao custeio da lavoura e o restante será aplicado em empréstimos para investimento e compra de equipamentos. A maior parte dos recursos, segundo Conceição, está sendo emprestada com a cobrança de juros de 8,75% ao ano, que á a taxa fixada para o crédito rural.

Com a liberação de hoje, já totalizam R$ 4 bilhões os recursos autorizados pelo Banco do Brasil para a próxima safra. Os outros R$ 2 bilhões foram autorizados em julho. No total, foram destinados pelo R$ 13 bilhões para a safra 2002/03, ou seja, ainda serão liberados R$ 9 bilhões.

O presidente em exercício do BB disse que a maior parte dos recursos está sendo emprestada para custear o plantio de soja, milho e arroz. No caso do milho, o banco está financiando até 100% do custeio do plantio para evitar maior migração dos produtores para o cultivo da soja, que oferece melhor remuneração em razão da desvalorização cambial.

Conceição disse que, no geral, a procura por financiamentos indica que há boas perspectivas para a próxima colheita. Na comparação com as liberações feitas de julho a setembro do ano passado, as liberações deste ano representam R$ 1 bilhão a mais. ?Continuamos trabalhando com a expectativa de uma colheita de 100 milhões de toneladas?, afirma.

Até os financiamentos para o setor de café, que estavam paralisados, deslancharam, segundo o presidente em exercício do BB. Já foram liberados R$ 300 milhões para a colheita de café. Esse montante, agora, será transformado em financiamento para estocagem.