Brasília – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse ontem que o Brasil caminha para um risco-país em torno de 100 e 110 pontos. Em reunião no Palácio do Planalto com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a nova equipe ministerial Mantega avaliou que esse índice pode ser obtido em um ano, ou um ano e meio. Durante o encontro, o ministro relatou que nas próximas semanas estará em Nova York para se reunir com agências de classificação de risco. Ele avalia que as agências subestimam o País. No início da tarde, o risco-Brasil estava em 167 pontos, depois de oscilar pela manhã entre 165 e 167 pontos.

Mantega voltou a fazer um balanço positivo da economia brasileira. Na avaliação dele, o País caminha para um crescimento anual de 5%. ?Tínhamos um índice de 2,3% de 1995 a 2002, passamos para um patamar moderado de 3,4% de 2002 a 2006 e agora, a meta é passar para um crescimento de 4% ou 5%?, afirmou, segundo relato do ministro Franklin Martins, da Secretaria de Comunicação Social.

Segundo Martins, Lula pediu durante a primeira reunião ministerial, após a reforma do gabinete, esforço dos ministros para a aprovação do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O presidente destacou a diferença entre o PAC e outros programas recentes de planejamento. Lula disse, segundo o ministro da Comunicação Social, que os demais programas foram elaborados por consultorias, e, como o governo não se envolvia no planejamento, tinha dificuldade de acompanhar a execução das obras.