O jornal O Estado do Paraná recebeu da Associação dos Produtores de Colombo (Apac) a seguinte correspondência:

?Ref.: Publicação Relativa à Associação dos Produtores de Colombo em 05/05/2006;

Prezados Senhores;

Preliminarmente, ao contrário do que foi descrito na reportagem levada a efeito por esse meio de comunicação, esclarecemos que toda a atual diretoria da Apac está, e sempre esteve, aberta para quaisquer explicações ou esclarecimentos que se façam necessários em relação à Apac, tanto pelos Telefones (041 3656-3251), quanto no endereço da Apac, (Rua Pedro Pavin n.º 1022) onde comparecemos diariamente.

Ademais, no que diz respeito aos fatos divulgados na matéria em questão, compete esclarecer que as acusações que a diretoria vem sofrendo são provenientes de divergências e perseguições políticas de um determinado Grupo de Produtores ligados à Atual Administração do Município.

É verídico que a situação da Apac é precária, estando em atraso com pagamentos de associados desde outubro de 2005, assim como com o pagamento de fornecedores e funcionários, os quais não recebem desde janeiro de 2006.

Tal situação não foi gerada ou prevista pela atual administração, mais sim pela conjuntura do mercado hortifrutigrangeiro na Região Metropolitana de Curitiba, que vem de muito antes da atual administração.

Ressalte-se que, quando da renúncia do Sr. Edson Luiz Ceccon, após ter perdido todo o apoio dos associados, já havia uma enorme dívida acumulada, e a associação estava fadada ao problema atual, pois os contratos mantidos com diversas redes de supermercados foram mal-elaborados, e muitas vezes impostos pelo poder econômico.

Desde que assumiu a Administração da Apac não mede esforços para reerguer a instituição, apesar das dificuldades encontradas tais como: ausência de documentos contábeis (já solicitados ao antigo presidente e não apresentados), ausência de prestação de contas (já devidamente solicitada ao antigo presidente e não apresentada), sabotagem por parte do antigo presidente e de políticos da Região, etc…

Ainda, é importante frisar que boa parte dos funcionários da Apac na gestão anterior eram parentes do ex-presidente Edson Luiz Ceccon e sua esposa, e quando a nova diretoria assumiu, colocando outro funcionário para se inteirar das contas da associação, a funcionária e sobrinha do ex-presidente abandonou a Apac sem explicações, deixando uma série de contas em aberto, sem o devido respaldo.

Dentro do panorama acima apresentado, e sem conhecer a real situação financeira e nem o histórico da Apac, a nova diretoria vinha tentando salvar a entidade, quando no final do ano de 2005 no fechamento da contabilidade anual, foi percebido que havia um desconto financeiro praticado pelas redes de Supermercados que extrapolavam os limites que a Associação conseguia suportar, descontos estes que chegaram em média a 25,52% do faturamento total da Apac, ou seja, dos R$ 2.123.108,19 faturados de janeiro a dezembro de 2005, R$ 541.900,09 ficaram em poder dos mercados, a título de desconto financeiro e devoluções.

Esse valor foi apresentado em assembléia geral no dia 16 de fevereiro de 2006 em uma das prestações de contas da atual diretoria, em que foi feito um relatório que foi encaminhado e protocolado junto às autoridades competentes, solicitando providências no sentido de punir as Redes de Supermercado, que além de sonegarem impostos, vêm gerando uma crise sem precedentes no setor hortifrutigrangeiro de Curitiba e Região Metropolitana.

Porém, as autoridades notificadas não se manifestaram, mas as retaliações em relação à atual diretoria aumentaram, levando a crer que o poder econômico das redes de supermercado mais uma vez falou mais alto.

Sendo assim, colocamo-nos à disposição para sanar eventuais dúvidas quanto às contas e administração da Apac Associação dos Produtores Agrícolas de Colombo, solicitando encarecidamente a publicação da presente resposta, bem como sejam denunciadas as práticas antes referidas, de modo a assegurar a subsistência dos agricultores de Colombo e Região Metropolitana.

Curitiba, 05 de maio de 2006.

Assinam: Douglas Eduardo Costa Martins, Presidente da Apac; vereador José Nicácio Strapasson, presidente da bancada agrícola da Câmara Municipal de Colombo; Edílson Ronald Ceccon – Tesoureiro; Rosilda Busato, Secretária e Edson Luiz Bontorin, Conselho Fiscal.?