A Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) revisou nesta quarta-feira (20) suas projeções para a balança comercial brasileira em 2011, divulgadas em dezembro do ano passado. Segundo a entidade, a estimativa para as exportações brasileiras saltou de US$ 225,7 bilhões para US$ 244,5 bilhões; e a projeção para as importações subiu de US$ 199,6 bilhões para US$ 218,3 bilhões. Com a atualização das projeções, a estimativa de superávit comercial brasileiro para este ano subiu de US$ 26,1 bilhões para US$ 26,2 bilhões.

Em comunicado, a AEB informou que a revisão anual incorpora elevação de 27% nos preços médios de exportação e de apenas 3% em quantidade, enquanto na importação ocorre aumento de 15% nos preços médios e 11% na quantidade.

Para a associação, apesar das incertezas econômicas em alguns países desenvolvidos, as cotações das commodities permanecem em patamar elevado, o que favorece expansão das exportações brasileiras, em que as commodities representam mais de 71% do montante.

A AEB alertou que a combinação de dependência de exportações de commodities com pequena participação de manufaturados nas vendas externas torna instável o resultado da balança comercial brasileira. Isso, na prática, torna o comércio internacional do País dependente de fatores externos alheios a seu controle, e sem dispor de qualquer poder de decisão.