O preço médio da cesta básica subiu em fevereiro em 13 das 16 capitais brasileiras pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), na comparação com janeiro. Segundo a Pesquisa Nacional de Cesta Básica, divulgada nesta terça-feira pela instituição, as maiores elevações foram apuradas em Fortaleza (11,51%), Recife (8,61%), Natal (5,88%) e Belo Horizonte (5,18%). As quedas foram apuradas em Porto Alegre (-0,81%), Aracaju (-0,76%) e Florianópolis (-0 09%).

Nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, a cesta apresentou elevações menos expressivas, de 0,63% e 0,67%, respectivamente. Em Brasília, por sua vez, houve alta de 2,10%.

No primeiro bimestre de 2007, a cesta básica registrou elevação em 15 capitais, parte delas com aumentos muito expressivos, como é o caso de Recife (12,70%), Vitória (9,00%), Belo Horizonte (8 09%) e Fortaleza (7,53%). Apenas em Porto Alegre a variação acumulada foi negativa (-0,74%). Em São Paulo, houve alta de 2 15%; no Rio de Janeiro, de 3,68%; e, na capital federal, de 3 04%.

Nos últimos 12 meses encerrados em fevereiro, nenhuma localidade apresentou variação acumulada negativa. As maiores elevações foram apuradas em Recife (17,00%), Belo Horizonte (13,90%), Belém (12,64%), Fortaleza (12,10%), Salvador (11,79%) e Porto Alegre (11,22%).

A menor alta do período foi verificada em Brasília (1,69%) e as capitais paulista e fluminense tiveram cestas com elevação acumulada de 5,94% e 2,94%, respectivamente.

Tomate e café em alta

De acordo com o Dieese, entre os produtos que se destacaram pela variação positiva, em fevereiro, o tomate e o café mereceram maior atenção. A instituição ressaltou, entretanto, que poucos produtos tiveram comportamento predominantemente de alta no mês passado.

O preço do tomate subiu em 15 capitais, sendo que, em nove, a alta superou 20%. Os destaques ficaram por conta de Recife (82 50%), Fortaleza (50,00%) e Belo Horizonte (40,25%). Em Porto Alegre a alta foi de apenas 0,70% e a única retração foi apurada em Florianópolis (-4,40%).

Com aumento em 13 cidades, o café registrou as variações mais significativas em Curitiba (26,15%), Rio de Janeiro (14,63%) e Belo Horizonte (11,97%). Houve ainda estabilidade em Aracaju e recuo em Belém (-1,14%) e João Pessoa (-2,02%).

Outro produto citado foi o pão, com aumento de preços em 12 localidades, com destaque para Porto Alegre (4,34%), Recife (3 61%) e João Pessoa (2,30%). Houve retração em São Paulo (-0,20%) Rio de Janeiro (-0,38%) e Fortaleza (-2,05%), enquanto, em Goiânia, o preço não se alterou.

Carne em baixa

Quanto às quedas, o Dieese informou que o comportamento mais marcante ocorreu com a carne, produto de maior peso da cesta e que está em plena safra. Dez capitais registraram baixa no preço deste item, sendo que os mais expressivos foram apurados em Recife (-3,44%), Natal (-3,05%), Brasília (-2,64%) e Goiânia (-2 21%). Das quatro localidades com elevação, apenas Fortaleza (7 30%) registrou movimento significativo.

Também o feijão, que se encontra em período da safra principal, apresentou recuo em dez capitais, com destaque para as variações captadas em Vitória (-9,14%), Belo Horizonte (-6,67%), Rio de Janeiro (-6,55%) e Brasília (-6,25%). Os preços mantiveram-se inalterados em Curitiba, Belém e Salvador. Subiram, entretanto, em Fortaleza (6,62%), Natal (3,95%) e Recife (2,29%).

O preço do açúcar apresentou, também, queda em 10 cidades. Destacaram-se Brasília (-4,92%), Belém (-4,79%) e João Pessoa (4 00%). Segundo o Dieese, o aumento mais expressivo foi apurado em Recife (6,52%).