Com boa chance de vitória sobre o Canadá, o que daria ao Brasil o direito de jogar o playoff em setembro para tentar voltar ao Grupo Mundial da Copa Davis em 2008, o novo técnico da equipe brasileira, Francisco Costa, não vai correr risco e optará por uma escalação mais conservadora. Assim, no confronto que começa sexta-feira, em Florianópolis, Flávio Saretta está certo como um dos titulares dos jogos de simples, e Gustavo Kuerten vai formar a dupla com André Sá.

A outra vaga para os jogos de simples, que seria de Marcos Daniel, parece estar mudando de raquete e indo para Ricardo Mello. Pelo menos, foi o que se viu nos treinamentos desta terça-feira (03) da equipe brasileira, no Costão do Santinho, em Florianópolis.

"Vim para jogar", disse Saretta, o número 1 do ranking brasileiro. "Estou bem, com bom físico e motivado.

Enquanto isso, Guga já faz treinos específicos para as duplas e reconhece que não se sente ainda seguro para jogos de simples em Davis, que são em melhor-de-cinco sets.

"Só jogo a dupla", disse Guga. "Seria arriscado demais, até mesmo para a equipe, eu tentar jogar simples.

Francisco Costa só amanhã anuncia oficialmente a equipe. "Uma das vagas de simples está entre Ricardo Mello, Marcos Daniel e Thiago Alves", disse o treinador.

Na primeira lista enviada pelo Brasil para a Federação Internacional de Tênis (ITF), Marcos Daniel aparecia entre os quatro jogadores da equipe, mas até a hora do sorteio, marcado para quinta-feira, pode haver duas alterações entre os titulares.

A bola escolhida para o confronto com o Canadá é a Roland Garros. Ela é ideal para o saibro e jogo lento, exatamente como o time brasileiro espera fazer diante dos canadenses, mais habituados a superfícies e condições mais rápidas.

O técnico canadense, Martin Laurendeau, um ex-tenista que jogou diversas vezes no Brasil, disse que os jogos da Davis deverão ser equilibrados e garantiu que seu time não está preocupado com a torcida. Ele anuncia os titulares também amanhã.