enkontra.com
Fechar busca

Curitiba e Região

Prejuízo!

Castigados pelas chuvas, moradores e prefeitura contabilizam os estragos após enchentes e alagamentos

Mais de 1.500 pessoas foram afetadas nos alagamentos e 200 ficaram desalojadas. Desmoronamentos, quedas de árvores e muros, além de danos estruturais, também foram registrados em diversos pontos da cidade

  • Por Maria Luiza Piccoli
Casas foram invadidas pela água na CIC. Foto: Colaboração

O saldo da chuva que atingiu Curitiba no fim da tarde deste sábado (03) foi de muitos estragos em diversas regiões da cidade. Num balanço divulgado na manhã deste domingo (04) a Prefeitura informou que além dos alagamentos registrados nos bairros Pinheirinho, Bairro Novo, Fanny, Cidade Industrial, Boa Vista, Portão, São Lourenço, Hauer, Água Verde e Rebouças, diversas residências foram afetadas pelo temporal.

Região do viaduto da Avenida Marechal Floriano Peixoto com a Linha Verde tomada pela água. Foto: Colaboração

Região do viaduto da Avenida Marechal Floriano Peixoto com a Linha Verde tomada pela água. Foto: Colaboração

Ao todo, segundo a administração municipal, 300 casas foram danificadas com a chuva que começou por volta das 19h. Mais de 1.500 pessoas foram afetadas nos alagamentos e 200 ficaram desalojadas. Desmoronamentos, quedas de árvores e muros, além de danos estruturais, também foram registrados em diversos pontos da cidade.

“A Prefeitura de Curitiba não dormiu esta noite, as equipes da Defesa Civil, Fundação de Ação Social, Secretaria de Obras, comandadas pelas administrações das regionais atingidas, trabalharam eficientemente e continuarão a trabalhar até solucionar todos os problemas e minimizar os danos”, afirmou o prefeito Rafael Greca, em nota divulgada neste domingo.

Atendimento da prefeitura

 Foto: Colaboração

Água e lama tomaram conta de muitas residência na capital. Foto: Colaboração

Na manhã deste domingo equipes da Prefeitura realizam atendimento especial à população nos Centros de Referência de Assitência Social (CRAS) dos bairros Parolin, Fazendinha, CIC e Pinheirinho.

No bairro Cidade Industrial (CIC) – um dos mais afetados – a Escola Municipal Otto Bracarense, situada na Rua Desembargador Cid Campêlo, 4151, também foi aberta para atender as vítimas da chuva.

A distribuição de colchões, cobertores, cestas básicas e mobiliário será feita pela FAS dentro dos critérios de correta assistência social através dos Cras, para segundo a prefeitura, evitar que surjam aproveitadores.

Campanha de doações

Em função das fortes chuvas que atingiram várias regiões de Curitiba, causando danos e prejuízos para centenas de famílias, uma campanha de arrecadação de donativos foi iniciada pela administração municipal. Para atender às famílias, é solicitada a doação de colchões, água potável, alimentos não-perecíveis e materiais de limpeza.

As doações sejam feitas diretamente no Disque Solidariedade, que fica na sede da Fundação de Ação Social (FAS), na Rua Eduardo Sprada, 4520, Campo Comprido, até ás 20h.  A partir desta segunda-feira, a população poderá levar suas doações também nas unidades da FAS, localizadas nas Ruas da Cidadania. O atendimento à população também segue pela Central 156.

Temporal

Alagamentos assustaram moradores de diversos bairros da capital. Foto: Colaboração

Alagamentos assustaram os moradores. Foto: Colaboração

A chuva foi “curta”, mas intensa. Segundo o Simepar, no período das 19h3min às 20h choveu 38,4mm e o acumulado chegou aos 68 mm – mais do que o registrado em todo o mês de fevereiro.

A previsão para este domingo é de tempo abafado e novas chuvas fortes, que devem cair no período da tarde.

 

 

https://www.tribunapr.com.br/noticias/curitiba-regiao/forte-temporal-alaga-bairros-de-curitiba/

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

13 Comentários em "Castigados pelas chuvas, moradores e prefeitura contabilizam os estragos após enchentes e alagamentos"


tkt_800_149271
tkt_800_149271
8 meses 14 dias atrás

Rafael Greca , Não me faça pegar Nojo!

Adriano  Pimentel Uruguay
Adriano Pimentel Uruguay
8 meses 14 dias atrás

É pelo visto a água em excesso não atingiu apenas as áreas ditas de invasão, onde se pode por a culpa nos invasores pelo problema. Temos dois culpados – os que entopem os rios de lixo e o poder público que não age, mas na hora de cobrar tributos, não perde tempo nenhum

Luiz
Luiz
8 meses 14 dias atrás

Não esquentem. O prefeito já deve estar fazendo o que mais sabe. Bolando uma taxa de defesa social, uns milzinho por moradia, em toda a cidade.

MARCELO PADILHA
MARCELO PADILHA
8 meses 14 dias atrás

Dá até dó de ver alguns comentários aqui. O SIMEPAR matou a charada: 38,5mm de chuva em meia hora (19:30h – 20h)!!! Acumulado de 68mm na chuva de UM DIA, que equivale ao MÊS INTEIRO de fevereiro. Nem que convocassem a Liga da Justiça e os Vingadores, a inundação deixaria de ocorrer. ACORDEM!!!

Elcio
Elcio
8 meses 14 dias atrás

Existe um córrego que passa por dentro da Escola Municipal Papa João XXIII que começa na Rua Frei Gaspar de Madre de Deus e sai na Rua Jacques Van Erven. Essas manilhas estão assoreadas e precisam ser trocadas por manilhas maiores.

Elcio
Elcio
8 meses 14 dias atrás

Quando chove forte as águas alagam estacionamentos de prédios e inundam a Escola e casas depois da Escola.

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas