enkontra.com
Fechar busca

Curitiba e Região

Fique esperto

‘Quando vi fiquei desesperada’, diz curitibana após conta de água aumentar 10 vezes

  • Por Gustavo Ribeiro - especial para a Gazeta do Povo
Saiba como fazer quando a conta de água vem com valores estranhos. Foto: Jonathan Campos / Gazeta do Povo

A empresária Amanda de Sousa, 32 anos, levou um susto quando recebeu a conta de água de casa em fevereiro. O valor contabilizado pela Sanepar havia saltado de R$ 70 em janeiro para R$ 790. “Quando recebi e vi, fiquei desesperada. Ali na hora já sabia que não tinha nexo. Nosso histórico de consumo, mesmo com quatro pessoas em casa, nunca chegaria a esse valor”, conta.

A primeira coisa que Amanda fez foi entrar em contato com a Sanepar para entender o que poderia ter ocorrido. No atendimento, ouviu que poderia se tratar de uma leitura errada e que a empresa verificaria. Um especialista foi até a residência e verificou que havia ar na tubulação e por isso o falso consumo disparou. A companhia reconheceu o valor errado e emitiu uma nova conta, dessa vez dentro da normalidade.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Mas nem sempre o final da história é tão simples. A também empresária Janete Briault, 52 anos, recebeu em fevereiro uma conta de água no valor de R$ 1.298,22, muito acima dos R$ 200 que costumeiramente pagava. E o consumo foi medido no período em que só havia uma pessoa em casa. Só que, neste caso, nada de errado foi detectado na tubulação.

“Não temos vazamento, nem ar nos canos, aparentemente nada de especial. No relógio consta o consumo que eles dizem, mas não tem justificativa”, diz Janete, que decidiu não pagar a conta enquanto a Sanepar não finalizar o atendimento que segue aberto. Mesmo assim, garante que não vai pagar esse valor. “Vou esperar para ver o que vai acontecer”, revela.

A Sanepar informou que o caso está em análise, que a equipe fará estudo de campo e que a conta está aberta e, por isso, não há risco de corte.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Os casos de Amanda e de Janete não são isolados e são relativamente comuns. Nas redes sociais são recorrentes os compartilhamentos de imagens de contas da Sanepar que apresentam valores mais altos que a média do consumo. Algumas pessoas dizem que conseguem resolver rapidamente, mas outras encontram mais dificuldades para comprovar que não consumiram o valor que consta na conta.

A Sanepar afirma que nas situações em que há alteração significativa no consumo, os clientes são avisados para verificar as instalações hidráulicas para identificação de possível vazamento. Além disso, quem tiver dúvidas e reclamações podem entrar em contato pelo telefone 0800 200 0115 e informar o número da matrícula (dado presente na conta d’água), ou seguir diretamente para uma Central de Relacionamento.

Como se antecipar e não ter surpresas?

Caso exista algum vazamento em qualquer ponto da tubulação, é normal que o consumo se eleve. Por isso, para evitar surpresas desagradáveis, é importante que a manutenção do sistema esteja em dia. Além disso, diante de qualquer suspeita de que há vazamento, alguns testes podem ser realizados sem conhecimentos avançados e sem a necessidade de chamar um especialista. A Sanepar sugere os seguintes testes:

1. Vazamento na válvula ou na caixa de descarga

Esgote ao máximo a água do vaso sanitário e observe o nível. Caso a água volte ao nível em que se encontrava antes, poder ter vazamento na válvula ou na caixa de descarga.

2. Vazamento pelo extravasor (torneira da boia defeituosa)

Verifique o funcionamento da torneira da boia. Em dias não chuvosos, observe se há vazamento pelo telhado ou calhas.

3. Vazamento no ramal interno alimentado direto da rede

– Mantenha aberto o registro do cavalete.

– Feche bem todas as torneiras de casa e não utilize os sanitários.

– Feche completamente a torneira da boia da caixa, não permitindo a entrada de água.

– Verifique no hidrômetro (medidor) se houve alteração na marcação.

– Em caso afirmativo, há vazamento no ramal interno alimentado diretamente pela rede. Chame um encanador.

4. Vazamento na instalação alimentado pela caixa

– Feche todas as torneiras da casa e não utilize os sanitários.

– Feche completamente a torneira da boia da caixa, impedindo a entrada de água.

– Marque na caixa o nível da água e, após uma hora, no mínimo, verifique se ele baixou.

– Em caso afirmativo, há vazamento na canalização, nas torneiras ou nos sanitários, alimentados pela caixa-d’água.

Outras possibilidades

É possível que não haja vazamento na tubulação, mas mesmo assim a leitura do hidrômetro apresente valores acima do que realmente foi consumido. Isso pode acontecer devido à presença de ar nos canos. Segundo a Sanepar, isso pode ocorrer em momentos excepcionais, como quando há corte de fornecimento para manutenção ou acidentes na rede.

De qualquer forma, a companhia garante que mesmo que seja constatada a presença de ar na tubulação, “a quantidade de ar que passa pelo hidrômetro é tão pequena que não chega a representar diferenças significativas para o consumo”.

E se nada for identificado?

Quando não for identificado nenhum problema na tubulação e o cliente não concordar com o valor, ele deve procurar o Procon-PR e formalizar uma reclamação. Nesses casos, a empresa é chamada para tentar um acordo com o consumidor. “A empresa tem que comprovar que houve o consumo indicado”, informou a diretora-geral do Procon-PR, Claudia Silvano.

De acordo com órgão, em 2018 foram recebidas 231 reclamações contra a Sanepar, sendo parte delas em relação a cobranças supostamente indevidas.

Mistério aponta sumiço de mulher na UFPR, mas nem polícia sabe o que está acontecendo!

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

8 Comentários em "‘Quando vi fiquei desesperada’, diz curitibana após conta de água aumentar 10 vezes"


vanderlei ribeiro
vanderlei ribeiro
9 dias 11 horas atrás

copel e sanepar sao as maiores ladras do povo inventam um monte de coisa e se nao pagar tem o fornecimento suspenso pra pagar as campanhas desses politicos corruptos com certeza,tem que privatizar isso com urgencia

Carlos F
Carlos F
9 dias 11 horas atrás

Trocaram meu relógio o consumo dobrou… Para pedir aferição do relógio junto a Sanepar eles cobram taxa de R$ 60,00 reais, ou seja, tem de contratar alguém para achar o possível vazamento e ir até a sanepar para tentar negociar valores pois eles não verificam vazamento do relógio para dentro da cas

Carlos Gomes
Carlos Gomes
9 dias 12 horas atrás

Algo que já ví em algumas situações é que a Sanepar pela dificuldade de leitura (por culpa do morador, por muro, cachorro etc) e o fica por mais de ano só com envio pela média, quando morador gasta mais que mínimo, depois quando conseguem leitura e percebe-se a diferença vem tudo numa só fatura.

Carlos Gomes
Carlos Gomes
9 dias 12 horas atrás

Já tive caso alguns anos da fatura que sempre vinha no mínimo, vir no valor de mais de R$ 200 mil, só que o leiturista errou feio e corrigiram.

JOSE LUIZ SILVA
JOSE LUIZ SILVA
10 dias 3 horas atrás

Que matéria enganosa… A SANEPAR já falou que o ar na tubulação não é contada pelo relógio… calúnia

Carlos Gomes
Carlos Gomes
9 dias 12 horas atrás

Sim o ar aumenta a leitura, só que o ar só aumentaria de forma relevante se for localidade com algum problema sério de abastecimento ou com problema nas instalações antes do relógio.

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas