A prefeitura de Curitiba avalia utilizar o prédio do antigo Instituto de Medicina e Cirurgia do Paraná, no Alto da Glória, para atender exclusivamente pacientes com o novo coronavírus. Caso confirme o plano, será o segundo hospital reativado pelo município para lidar apenas com casos de covid-19. Desde abril, o Hospital Vitória, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), é utilizado para o mesmo fim.

O município negocia com a Santa Casa de Curitiba um contrato para a administração do espaço, de acordo com informações da entidade. A superintendente de gestão da Secretaria Municipal da Saúde, Flávia Quadros, confirmou apenas que trata-se de “uma possibilidade que estamos avaliando e que divulgaremos no momento oportuno”.

LEIA MAIS – Se for necessário lockdown em Curitiba, terá de ser ‘cirúrgico’, diz infectologista da prefeitura

Apesar de não haver confirmação oficial, já existe um processo de seleção aberto para a contratação de enfermeiros e técnicos de enfermagem conduzido pela gerência de recursos humanos do Hospital XV, integrante do mesmo grupo que era responsável pelo Instituto de Medicina e Cirurgia do Paraná. A contratação dos profissionais, no entanto, seria feita pela Santa Casa.

Os currículos são recebidos pelo e-mail curriculo@hospitalxv.com.br e a previsão é que os candidatos comecem a ser chamados para entrevistas a partir da próxima segunda-feira (29).

Conforme o último boletim epidemiológico da Secretaria Municipal da Saúde, divulgado na terça-feira (23), Curitiba tem uma taxa de ocupação de 75% dos leitos de UTIs do Sistema Único de Saúde (SUS) exclusivas para Covid-19. A capital paranaense registra, desde o início da pandemia do novo coronavírus, 3.298 confirmações de contaminação e 116 óbitos em razão do vírus.

Hospital de campanha

Apesar do avanço da covid-19 em Curitiba e de a cidade estar na bandeira laranja do protocolo de combate ao coronavírus, a utilização de um hospital de campanha ainda não é uma alternativa na capital. No último dia 15, a secretária de saúde Márcia Huçulak já havia afirmado que não era o momento para iniciar a instalação de uma estrutura hospitalar de emergência na cidade. Segundo ela, existe um projeto que prevê o funcionamento de um hospital de campanha em um centro de eventos localizado no Parque Barigui.

“Temos um hospital num projeto pronto, todo desenhado e projetado, que será acionado quando for preciso”, explicou Márcia. De acordo com a secretária, o tempo de instalação até o completo funcionamento é de 20 dias.